contributors

José Goulão

José Manuel Goulão é um jornalista português

all articles

April 10, 2024
NATO, 75 anos de guerra contra a humanidade

A NATO nasceu grávida da integração europeia que, 50 anos depois, culminou na União Europeia como instituição autárcica, globalista, federalista e inimiga das soberanias nacionais

March 29, 2024
Os “nossos valores” sequestrados

No Ocidente os tão invocados “nossos valores partilhados” estão sequestrados, pelo que é fácil subvertê-los e usá-los perversamente como instrumentos para ludibriar e neutralizar o espírito crítico da grande maioria dos cidadãos

March 24, 2024
Quando a história chega a ser escabrosa

Somos governados por gente desprezível que transformou a política numa teia de mentiras, viciou a democracia, joga com as vidas das pessoas como se nada valessem e, quando os “interesses” exigem, não hesita em cultivar guerras criminosas

March 7, 2024
O nazismo ucraniano, ontem e hoje: Zelensky, a marioneta perigosa de um Ocidente em desespero

Afinal Zelensky é apenas um palhaço rico canastrão que tem como “pièce de resistance” da sua arte o número de tocar piano com os genitais.

February 27, 2024
O nazismo ucraniano, ontem e hoje: A “democracia liberal” guiada pela “raça pura”

Os grupos nazis ucranianos têm uma origem, um tronco e uma clique terrorista dirigente comuns com influência omnipresente no topo da hierarquia do Estado desde a independência, em 1991.

February 22, 2024
O nazismo ucraniano, ontem e hoje: o decálogo assassino e a “grande democracia”

Os nacionalistas integrais da Ucrânia não manifestavam quaisquer remorsos pelos seus actos, apesar de as vítimas serem quase exclusivamente civis – homens, mulheres e crianças, tanto fazia.

February 10, 2024
A miséria do jornalismo ocidental

O jornalismo transformou-se num instrumento não apenas útil, mas também indispensável para as estratégias abusivas de governação.

January 27, 2024
A tentação fascista das elites europeias

Em desespero, o Ocidente pretende, a todo o custo, impedir a transcendente mudança recorrendo aos únicos métodos que conhece: o poder da força, a guerra, a tentação fascista e em última análise, se lhe for permitido, o extermínio da humanidade.